segunda-feira, 14 de julho de 2008

A mamãe fica triste?

Cena 1: Mulher empurrando carrinho de compras no supermercado, e o filho pequeno pede um biscoito, um chee-tos ou qualquer coisa do tipo.
- Mãe, eu quero!
- Não, filho, deixe aí.
- Mas eu quero!
- Mas não vai levar.
- Eeeuuuuu queeeerooooooo! (choro escandaloso, se jogando no chão, esperneando)
- Pronto, pronto, pode levar!


Cena 2: Praça de alimentação do shopping, horário de almoço, mãe e filho numa mesa:
- Quer comer o quê?
- Sanduíche.
- Sanduíche é lanche, filho, tem que almoçar.
- Mas eu quero sanduííííííícheeeeeeeeee! (gritos, pulos na cadeira, chororô)
- Tá bom, tá bom, mas só dessa vez, tá, filho???

Cena 3: Mulher vai visitar uma amiga e leva o filho junto. Enquanto elas conversam, o menino entra e sai dos quartos, mexe nas coisas, chuta o cachorro, bagunça os porta-retratos da casa, pula no sofá...
- Fi-lhô... fique quietinho, por favor.
- ... (menino se fazendo de surdo)
- Meu amor, por favor, obedeça, brinque quietinho pra não cair...
- .... (continua se fazendo de surdo)
- Fi-lhô, não faça assim.... mamãe fica triste!

Você já deve ter visto pelo menos uma dessas três situações, não? Eu vejo sempre, e fico horrorizada. O que são essas crianças de hoje? O que são essas mães de hoje? Se eu me jogasse no chão pedindo uma coisa aos berros... eu não sei nem o que a minha mãe faria, porque eu certamente não faria isso. Acredito que você também não.
Como assim "mamãe fica triste"? Não é pra se jogar no chão porque é ridículo, porque é falta de educação, excesso de mimo, e não porque mamãe fica triste! Não é pra bagunçar as casas alheias simplesmente porque o não se deve bagunçar coisa nenhuma, pior ainda as coisas dos outros. Só por isso. Nada de "mamãe fica triste". Ah, mamãe, você fica triste? Problema seu!
Desde quando as crianças é que mandam em casa? Eu devo ter perdido algum capítulo da história da evolução da sociedade, porque quando eu era pequena (e nem faz tanto tempo assim), as mães não precisavam se descabelar, fazer terapia ou procurar livros de psicologia infantil pra educar os filhos. Eu nunca me joguei no chão pedindo nada, e na casa dos outros, ficava quieta. E se eu chegasse num lugar qualquer e por acaso não falasse com as pessoas, bastava um olhar da minha mãe, e eu já estava sorridente, dando "bom dia" a todo mundo.
Quando vejo um episódio de "Super Nanny", fico apavorada. Que meninos são esses? Quando é que eu ia sonhar em chutar a minha mãe, o meu pai, a babá??? Como é que pode uma mulher virar refém de uma criatura que ela pariu? Cadê a autoridade? Se eles aprontam com os pais, o que fazem com as professoras?
O que vai ser dessas crianças que nunca ouvem um "não", quando crescerem? Filho, não vire bandido, porque a polícia fica triste...

4 comentários:

Tio Lillo disse...

A "puliça" vai ficar muito triste mesmo...
Eita tb ja cliquei nas propagandas.
eheheh

Andressa disse...

Fi-lha, a mam�e j� clicou nas propagandas pra voc� n�o ficar pobrinha, viu ?

Leila disse...

hahahahaha.....adorei!!
Ah...vou clicar nas propagandas pra gente sair pra comer viu? kkkkk

Tio Lillo disse...

tia veja esse blog
http://blogcamp.com.br/

vai ter esse final de semana aqui!